Just another WordPress.com site

Archive for the ‘Agroecologia’ Category

Assentamento Milton Santos – a luta continua!

Reproduzimos abaixo mais um informe do blog do Assentamento Milton Santos.

Convocamos os apoiadores da luta a resistir junto com os companheir@s no Assentamento.

Se o campo não planta, a cidade não janta!

Assentados e apoiadores retornam ao Assentamento Milton Santos e seguem em luta

Os últimos 11 dias foram de intensas lutas para os assentados e apoiadores do Assentamento Milton Santos, localizado em Americana-SP e Cosmópolis-SP. Nesse período ocupamos o prédio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e o Instituto Lula em São Paulo. Nosso objetivo sempre foi o de conquistar a única medida que impede o despejo das 68 famílias e garante a destinação definitiva das terras para a reforma agrária: a assinatura de um decreto de desapropriação por interesse social pela presidenta Dilma Rousseff.

Infelizmente, mesmo após reuniões com diretores do Instituto Lula, Paulo Okamotto e Luiz Dulci, e com o presidente nacional do INCRA, Carlos Guedes, o assentamento continua em perigo. O Decreto não foi assinado pela presidenta Dilma e não há nenhuma medida oficial que suspenda uma possível tragédia. Muitos foram os compromissos verbais de representantes do governo de que o despejo não ocorrerá. Porém, as famílias ainda correm o risco de perderem tudo o que têm a partir do dia 30 de janeiro, quando pode ser requisitada força policial para realização do despejo. Por isso, decidimos desocupar ontem o Instituto Lula e hoje, por volta das 18h, o INCRA para dar início a uma nova etapa da resistência. Seguiremos nossa jornada de lutas em nossa última trincheira, o assentamento Milton Santos. Com esta mesma preocupação, convidamos os companheiros que realizavam greve de fome em frente ao escritório da Presidência da República a suspenderem o seu protesto; eles seguirão conosco para o assentamento e ajudarão a preparar a nova resistência.

Sempre soubemos que esta luta seria dura e que não seria nada fácil obter uma resposta efetiva do governo. Contudo, acreditamos que não saímos derrotados. Com nossas últimas ações, publicizamos o caso do Assentamento Milton Santos, o que possibilitou que uma parcela maior da população tomasse conhecimento do drama em que vivemos.

Nossas atividades em São Paulo revelaram à sociedade que a medida de que precisamos para ter tranquilidade no Assentamento não se trata de uma questão técnica ou jurídica. Ao contrário, as audiências com as autoridades do Incra, bem como a nossa passagem pelo Instituto Lula, nos reforçaram a convicção de que a solução do problema depende de uma opção exclusivamente política a ser tomada pelo governo federal, a quem recairá toda responsabilidade caso uma nova tragédia aconteça.

E mais: as ocupações em São Paulo receberam inúmeras visitas e manifestações de apoio de movimentos sociais, sindicatos, coletivos, partidos, intelectuais e estudantes. Gostaríamos de agradecer o apoio de todos e esperamos que o vínculo que se construiu entre nós não seja quebrado e que um diálogo forte e sincero tenha se iniciado entre aqueles que estão verdadeiramente ao lado dos trabalhadores. Por isso, pedimos a todos os companheiros e companheiras que estiveram conosco nessa luta que nos acompanhem em nossos próximos passos.

Seguimos mobilizados e dispostos a lutar até o fim.
Milton Santos, Resistencia e Luta!

fonte: http://www.assentamentomiltonsantos.com.br/

Advertisements

Carta aos colaboradores do projeto Cisterna Ciclovida

Olá para todo mundo!

Há cerca de um mês realizamos uma viagem para o sertão do Ceará para participar de um encontro de mutirões de trabalho e de troca de conhecimentos, para o qual surgiu a idéia de contribuirmos “puxando” a construção de uma cisterna de armazenagem de água da chuva. Depois de algumas correrias, formamos um grupo de 12 pessoas que se comprometeram a participar desse encontro, documentá-lo e posteriormente compartilhar as aprendizagens.

Pessoal, enquanto coletivo, esse é nosso primeiro retorno a vocês que colaboraram tanto com a compra dos materiais necessários à construção da cisterna quanto com os custos da nossa ida para o Ceará. E depois dos atropelos caoticamente postos por nossas rotinas paulistanas, que algumas vezes nos impediram de organizar nossa energia coletiva, o que estamos para compartilhar com vocês é certamente muito mais do que as concretizações dos mutirões, da construção por completo da cisterna de ferrocimento (!!!), da multiplicidade de culturas, e mesmo dos desafios impostos pela aridez da caatinga: é uma experiência que nos surpreendeu ainda mais, nos marcando, grupo e indivíduos, como uma das mais intensas e enriquecedoras de nossas vidas.

                No momento, estamos organizando uma quantidade imensa de fotos (algumas podem ser vistas neste link https://picasaweb.google.com/107462077538350500039/EncontroCiclovida2012), vídeos, desenhos e registros escritos. Optamos por construir e partilhar nossas impressões em um relato mais denso e completo dessa vivência, o qual pretendemos concluir até 25 de março. Esse relato, além de aproximar vocês um pouco mais dessa história, será para nós um horizonte na construção de nossas contrapartidas: um vídeo detalhado da construção da cisterna (passo a passo) e material didático para impressão (“apostila”) da cisterna e da casa – ambos com conclusão prevista para o fim de julho. Em um segundo momento, nos dedicaremos a sistematizar os materiais relacionados às demais tecnologias e conhecimentos compartilhados durante o encontro.

Além desse planejamento, por termos ainda uma parte de nossa dívida inicial (a prestação de contas será partilhada com vocês junto com o relato, no dia 25/03), estaremos realizando eventos para compartilhar a experiência do encontro como um todo, e também o documentário Ciclovida. Nesses eventos, continuaremos a arrecadar contribuições por meio de doações e da venda de bebidas e alimentos.

Agradecer mais uma vez a vocês certamente faz parte desse caminho, uma vez que as muitas doações, entre outras contribuições que recebemos, foram indispensáveis à realização desse sonho conjunto.

Abraços libertários,

Lucimara, Caio “Saravá”, Paquê, Lívia, Aline, Mariah, Cecília, Marcos “Tica”, Julia, Samuel, Julio e Hélio, mais Dani e Rogério

Primeiro relato da caravana Ciclovida

Belíssimo texto dos nossos queridos amigos norte-americanos!

Em caso de dificuldades com a língua inglesa, utilize o Google Translator.

http://ciclovidatour.wordpress.com/2012/02/06/resistencia-convivencia-creatividade-e-solidariedade-at-the-ciclovida-encontro-in-brazil/

 

Abraços!!

 

Novidades do CICLOVIDA

Em breve relatos sobre a incrível viagem à Barra do Leme, onde construimos uma cisterna de ferro-cimento para os irmãos Inácio, Ivânia e família do Ciclovida.

Somos todos Ciclovida!!!

“A vida tem um ciclo, quem é que não tem?”

Novo clipe da Banda Zafenate

Acabou de sair do forno o mais novo video clipe da Banda Zafenate.

Confira!!!

Seção Fotos Atualizada!

A seção Fotos foi atualizada com imagens lindas da nossa horta agroecológica.

Clique AQUI e comentem!!

Casa do Alpendre no Jornal Futura – vídeo

Salve galera!!!!

Para aqueles que não conseguiram assistir na televisão, não percam a oportunidade de assistir a matéria do Jornal Futura feita na Casa do Alpendre!

“…vamos ocupar terrenos baldios…casa abandonada que é pra nóis plantar salada!”

%d bloggers like this: